Psalms 102

Oração do aflito, quando ele se viu desfalecido, e derramou sua súplica diante do SENHOR:

Ó SENHOR, ouve minha oração; e que meu clamor chegue a ti. Não escondas de mim o teu rosto no dia da minha angústia; inclina a mim teu ouvidos; no dia em que eu clamar, apressa-te para me responder. Porque os meus dias têm se desfeito como fumaça; e meus ossos se têm se queimado como num forno. Meu coração, tal como a erva, está tão ferido e seco, que me esqueci de comer meu pão. Por causa da voz do meu gemido, meus ossos têm se grudado à minha carne. Estou semelhante a uma ave no deserto, estou como uma coruja num lugar desabitado. Fico alerta e estou como um pardal solitário sobre o telhado. Os meus inimigos me insultam o dia todo; os que me odeiam juram maldições contra mim. Porque estou comendo cinza como se fosse pão, e misturo minha bebida com lágrimas, 10 Por causa de tua irritação e tua ira; porque tu me levantaste e me derrubaste. 11 Meus dias têm sido como a sombra, que declina; e eu estou secando como a erva. 12 Porém tu, SENHOR, permaneces para sempre; e tua lembrança continua geração após geração. 13 Tu te levantarás, e terás piedade de Sião; porque chegou o tempo determinado para se apiedar dela. 14 Pois os teus servos se agradam de suas pedras, e sentem compaixão do pó de suas ruínas. 15 Então as nações temerão o nome do SENHOR; e todos os reis da terra temerão a tua glória; 16 Quando o SENHOR edificar a Sião, e aparecer em sua glória; 17 E der atenção à oração do desamparado, e não desprezar sua oração. 18 Isto será escrito para a geração futura; e o povo que for criado louvará ao SENHOR; 19 Porque ele olhará desde o alto de seu santuário; o SENHOR olhará desde os céus para a terra, 20 Para ouvir o gemido dos prisioneiros; para soltar aos sentenciados à morte. 21 Para eles anunciarem o nome do SENHOR em Sião, e seu louvor em Jerusalém. 22 Quando os povos se reunirem, e os reinos, para servirem ao SENHOR. 23 Ele abateu minha força no caminho; abreviou os meus dias. 24 Eu dizia: Meu Deus, não me leves no meio dos meus dias; teus anos são [eternos], geração após geração. 25 Desde muito antes fundaste a terra; e os céus são obra de tuas mãos. 26 Eles se destruirão, porém tu permanecerás; e todos eles como vestimentas se envelhecerão; como roupas tu os mudarás, e serão mudados. 27 Porém tu és o mesmo; e teus anos nunca se acabarão. 28 Os filhos de teus servos habitarão seguros, e a semente deles será firmada perante ti.
Copyright information for PorLivre