Psalms 69

Salmo de Davi, para o regente, conforme “os lírios”:

Salva-me, ó Deus, porque as águas têm entrado e encoberto a minha alma. Afundei-me em um profundo lamaçal, onde não se pode ficar em pé; entrei nas profundezas das águas, e a corrente está me levando. Já estou cansado de clamar, minha garganta enrouqueceu; meus olhos desfaleceram, enquanto espero pelo meu Deus. Os que me odeiam sem motivo são mais numerosos que os cabelos de minha cabeça; são poderosos os que procuram me arruinar, os que por falsidades se fazem meus inimigos; tive que pagar de volta aquilo que não furtei. Tu, Deus, sabes como sou tolo; e meus pecados não estão escondidos perante ti. Não sejam envergonhados por minha causa aqueles que te esperam, ó Senhor DEUS dos exércitos; não sejam humilhados por minha causa os que te buscam, ó Deus de Israel. Porque por causa de ti aguentei ser insultado; a humilhação cobriu o meu rosto. Tornei-me estranho aos meus irmãos; e desconhecido aos filhos de minha mãe; Porque o zelo por tua casa me devorou; e os insultos dos que te insultam caíram sobre mim; 10 Minha alma chorou e jejuou; porém mais insultos vieram sobre mim. 11 Vesti-me de saco, mas fui ridicularizado por eles num ditado. 12 Os que se sentam à porta falam mal de mim; e os bebedores de álcool cantam piadas contra mim. 13 Mas eu oro a ti, SENHOR, no tempo aceitável. Pela grandeza de tua bondade, responde-me, ó Deus, pela fidelidade de tua salvação. 14 Livra-me do lamaçal, e não me deixes afundar; seja eu resgatado dos que me odeiam, e das profundezas das águas. 15 Não permitas que as correntes de águas me cubram, e que a profundeza não me devore, nem o poço feche sua boca sobre mim. 16 Responde-me, SENHOR; pois boa é tua bondade; olha para mim conforme tua piedade. 17 E não escondas teu rosto de teu servo; porque estou angustiado; ouve-me depressa. 18 Vem para perto de minha alma, e a liberta; resgata-me por causa de meus inimigos. 19 Tu conheces como me insultam, me envergonham e me humilham; diante de ti estão todos os meus adversários. 20 Insultos têm quebrado meu coração, e estou fraquíssimo; e esperei compaixão, porém houve nenhuma; também esperei por pessoas que me consolassem, mas não os achei. 21 Deram-me fel como alimento; e em minha sede me deram vinagre para beber. 22 Torne-se a mesa diante deles como que um laço; e aquilo que lhes dá segurança lhes seja uma armadilha. 23 Sejam escurecidos os olhos deles, para que não possam ver; e que seus quadris vacilem continuamente. 24 Derrama tua indignação sobre eles; e que sejam tomados pelo ardor de tua ira. 25 A habitação deles seja desolada; e que não haja morador nas tendas deles; 26 Porque perseguem aquele a quem tu feriste, e contam histórias da dor daqueles a quem tu machucaste. 27 Conta como maldade a maldade deles; e não sejam eles agraciados por tua justiça. 28 Sejam riscados dos livro da vida; e não estejam eles escritos junto com os justos. 29 Mas eu estou miserável e em dores; ó Deus, que tua salvação me proteja. 30 Louvarei o nome de Deus com cântico; e o engrandecerei com agradecimentos. 31 Isto agradará ao SENHOR mais do que o sacrifício de um boi ou de um bezerro com chifres e unhas. 32 Os mansos verão, e se alegrarão; vós que buscais a Deus, vosso coração viverá. 33 Porque o SENHOR ouve aos necessitados, e não despreza os prisioneiros que lhe pertencem. 34 Louvem a ele os céus, a terra, os mares, e tudo que neles se move; 35 Porque Deus salvará a Sião, e construirá as cidades de Judá; e habitarão ali, e a terão como posse. 36 E a semente de seus servos a herdará; e os que amam o nome dele habitarão nela.
Copyright information for PorLivre